PLANTÃO / GREVE GERAL

Retrospectiva da greve pela reforma do PCCV e pela moralização do serviço público

06/05/2016
Sindsalem

Em 20 dias de greve, os servidores do legislativo estadual promoveram diversas manifestações pela reforma do PCCV e pela moralização do serviço público.

VITÓRIA POLÍTICA
Indubitavelmente, os atos da categoria tiraram o sossego dos deputados e, mais importante ainda, abriram os olhos da sociedade e da imprensa para o poço imundo de corrupção que é a Assembleia Legislativa do Maranhão, comandada pelo último coronel do sertão maranhense, deputado Humberto Coutinho.

MANIFESTAÇÕES
O movimento paredista começou no dia 13 de abril, com uma grande manifestação na entrada principal da Alema, que contou com o apoio de outras categorias, como: bancários, servidores do Judiciário, quilombolas e membros da central sindical CSP-Conlutas.

Além de protestos, a categoria também utilizou estratégias de luta mais irônicas, como a realização de um café da manhã ao som do melhor do forró pé-de-serra, a fim de animar os deputados a retomarem o diálogo pela reforma do PCCV.

FANTASMÃO
Com o silêncio sepulcral da Mesa Diretora, os servidores foram obrigados a intensificar o movimento. Surgiu, então, a mascote da greve: o boneco Fantasmão, sucesso absoluto, que fez o número de acessos do site e das redes sociais do Sindsalem alcançarem números recordes
.
Para a categoria, o Fantasmão simboliza a grande quantidade de funcionários fantasmas existente na Casa do Povo, que incham a folha de pagamento, servindo como pretexto para a não aprovação do PCCV. O sucesso do Fantasmão foi tamanho, que o Sindsalem recebeu milhares de mensagens de apoio de cidadãos revoltados com os desmandos e irregularidades que ocorrem na Alema.

PROPOSTA REBAIXADA
Imediatamente, diante da repercussão, a Mesa Diretora, por meio do deputado Eduardo Braide, chamou o Sindsalem para a mesa de negociação. Lamentavelmente, a proposta apresentada pelo coronel do sertão, deputado Humberto Coutinho, foi hilária, vergonhosa: 3% de reajuste salarial, aumento pífio prontamente rejeitado pelo Comando de Greve.

CARREATA
A proposta da Mesa Diretora revoltou a categoria, que além de criar o “Paredão da Vergonha” e rejeitar o convite para a Festa de Dia das Mães promovida pela ex-deputada Cleide Coutinho, radicalizou o movimento com a realização de uma carreata histórica.

CONTRA A CORRUPÇÃO
Partindo da sede da Alema, no Calhau, com destino ao Palácio dos Leões, no Centro, a carreata reuniu dezenas de carros, de servidores e de cidadãos, cobrando o fim da corrupção, do nepotismo e do desperdício de dinheiro público na Assembleia Legislativa.

POR SALÁRIOS DIGNOS
Ao chegarem ao bairro do São Francisco, os servidores do legislativo uniram forças com os professores da rede municipal de ensino, que também estão na luta por salários e condições dignas de trabalho. Unidos, os trabalhadores paralisaram o trânsito da região por mais de 1h30.

CONTRA A OMISSÃO
O objetivo: chamar a atenção do Ministério Público e da Procuradoria Geral de Justiça do Estado, que fazem “vista grossa” para os desmandos, abusos e irregularidades que ocorrem no Legislativo Estadual.

QUE DECEPÇÃO...
Por fim, os trabalhadores, com o apoio de populares, se concentraram em frente ao Palácio dos Leões para cobrar uma atitude enérgica do governador Flávio Dino que, lamentavelmente, se omitiu para defender seus aliados.

CAMINHADA
Com o sentimento de dever cumprido, por iniciar o processo de moralização da política maranhense, os servidores da Alema participaram, ainda, de uma caminhada na Avenida Litorânea, no dia 1º de maio, Dia do Trabalhador, onde voltaram a denunciar o nepotismo, a corrupção e a existência de funcionários fantasmas na Casa do Povo, ato que repercutiu na imprensa nacional.

GREVE TERMINA, MAS...
No dia seguinte, a categoria decidiu encerrar a greve e partir para novas táticas de luta, ainda mais ousadas, no plano nacional. Um ato público foi realizado simbolizando a limpeza, em andamento, da corrupção na Alema, ocasião que os servidores limparam com água e sabão as escadarias da Casa.

O sentimento comum da categoria é de vitória e os grandes derrotados foram a corrupção, os deputados, o coronel Humberto Coutinho e o governador Flávio Dino, cuja máscara da mudança, começa a ruir.

A LUTA CONTINUA
A reforma do PCCV, ainda, não veio, mas a semente da verdadeira mudança, do combate à corrupção, ao nepotismo e as demais práticas da velha política, que dificultam nossos avanços, foi plantada! O Sindsalem assegura a todos que não medirá esforços para conquistar a merecida valorização salarial para a categoria. Por isso, a luta continua, servidor!

Últimas notícias

Veja todasveja todas

Pesquisa

SERVIDOR

Sindicalize-seConvênios

PUBLICAÇÕES

JORNAL SINDSALEM

MAI/2017

Jornal Sindsalem - Ano 3 - Nº 21
SINDSALEM

Sindsalem @ . Todos os direitos reservados.
Av. Luís Eduardo Magalhães, 500, Loja 16, Centro Comercial Pátio Calhau.
São Luís–MA • CEP 65071-750 • Fone: (98) 99969-8710 • E-mail: sindsalemma@gmail.com.