DESTAQUE / EDITORIAL

Sindicato sugere voto nulo no 2º turno

Em São Luís, a eleição de Eduardo Braide ou Edivaldo Holanda Júnior não implicará em grandes mudanças para a população. Confira análise feita pela direção do Sindsalem.

17/10/2016
Sindsalem

Motivados pelo desejo de mudança e com o objetivo de combater à corrupção, o povo foi às urnas, com boa-fé, no último dia 02 de outubro. Bombardeado pela mídia, o cidadão acreditou que a vida iria melhorar pelo simples fato de trocar o PT pelo PSDB, DEM, PMDB, PP ou qualquer outro partido de matriz ideológica semelhante. Infelizmente, na política, as coisas não funcionam assim e os eleitores concederam, na verdade, uma vitória avassaladora aos seus próprios algozes. Diante disso, o Sindsalem fez uma breve análise dos impactos negativos do resultado destas eleições, principalmente, para os servidores da Alema.

O PMDB elegeu 1.028 prefeituras, o PSDB - 796, o PSD - 539 e o PP - 495. Todos esses partidos possuem caciques envolvidos em corrupção, o que nos leva a crer que essa mazela se perpetuará neste país. Um jantar promovido por Temer no dia 09 de outubro preparou a base governista para a aprovação de várias emendas e projetos de leis que representam ataques terríveis aos trabalhadores e aos servidores e serviços públicos, em particular.

No Maranhão, as eleições em vários municípios terão consequências sobre nós, servidores. A derrota do CORONEL COUTINHO, em Caxias, é o maior exemplo. Embora os caxienses tenham derrubado uma administração desastrosa para os interesses do povo daquela cidade, a eleição de Fábio Gentil não promete grandes mudanças, pois este sempre viveu à custa do dinheiro público, assim como os membros do grupo derrotado. O revés do Coronel Coutinho aliado às propostas de reforma do Governo Temer podem dificultar, ainda mais, a vida dos servidores desta Casa. A categoria precisa ficar alerta, pois a folha de pagamento tende a aumentar com novos “fantasmas”. Além disso, a Mesa Diretora utilizará o argumento das medidas impostas pelo Governo Temer, como a PEC 241, para reforçar a negação da Reforma do PCCV.

Em São Luís, a eleição de Eduardo Braide ou Edivaldo Holanda Júnior não implicará em grandes mudanças para a população. Os dois candidatos têm origem na Oligarquia Sarney e fazem parte, hoje, da base do GOVERNO FLÁVIO DINO. Na Alema, todos sabem que os dois grupos (SARNEY E DINO) fazem vista grossa para a enxurrada de “fantasmas” existentes na Casa, assim como foram coniventes com o escandaloso aumento de 34,5% concedido a servidores comissionados, que já ganhavam acima de R$ 16 mil por mês. Em contrapartida, os dois grupos se negaram a apoiar, sequer, a concessão da revisão inflacionária de 9,30%, a que têm direito os servidores efetivos e estáveis.

O deputado Eduardo Braide, inclusive, atuou diretamente para que a reposição da inflação não fosse concedida à categoria, uma vez que se aliou a servidores inescrupulosos, que tentaram substituir a direção autêntica do Sindsalem. Vale ressaltar, ainda, que esse deputado teve em suas mãos a lista de “fantasmas” e nada fez para acabar com essa forma de desvio de dinheiro público. Por tudo isso, apesar de saber que todos são “livres” para votar, a Direção do Sindsalem conclama seus associados a votarem nulo neste segundo turno, em São Luís. 

Últimas notícias

Veja todasveja todas

Pesquisa

SERVIDOR

Sindicalize-seConvênios

PUBLICAÇÕES

JORNAL SINDSALEM

MAI/2017

Jornal Sindsalem - Ano 3 - Nº 21
SINDSALEM

Sindsalem @ . Todos os direitos reservados.
Av. Luís Eduardo Magalhães, 500, Loja 16, Centro Comercial Pátio Calhau.
São Luís–MA • CEP 65071-750 • Fone: (98) 99969-8710 • E-mail: sindsalemma@gmail.com.